segunda-feira, 20 de agosto de 2012

estava morto faz tempo





Deram a chance para que ele escolhesse
Como seria o seu grande final
entre uma cadeira elétrica ou uma injeção letal
  ele preferiu uma bala entre os olhos. Não morreu.
Ficou em estado vegetativo
Alguns diriam que nem se esqueceu,
De viver,
Ou até mesmo ser


 As pessoas daquele lugar tiveram que escolher
A forma que ele deveria morrer
 Tirar enfim a vida de um condenado
Jamais seria perdoado
 ou cometerem eutanásia,
Coisa que nem se justifica com raiva
A decisão foi unanime: Matem o Detento.
Que não haja lamento
É simples e leve como uma folha
Dessa vez ele não teve direito de escolha.
Foi desligado.

morreu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário